Um levantamento realizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, apontou que os medicamentos genéricos são os preferidos dos brasileiros na hora da compra.

Ao todo, foi 1,46 bilhão de medicamentos comercializados em 2016, segundo dados do Anuário Estatístico do Mercado Farmacêutico 2016. O faturamento gerado nas vendas foi de R$ 8,58 bilhões, o que corresponde a 13% do mercado. Os remédios similares venderam 1,42 bilhão de unidades e os medicamentos novos 925,71 milhões de unidades.

Uma boa parte desses medicamentos é de produção nacional, e entre os 20 laboratórios que mais faturam com a venda de genéricos, 16 deles são brasileiros. A qualidade do parque industrial nacional na produção de medicamentos genéricos foi indicado pela Anvisa como de qualidade. As empresas registraram uma quantia de 2.119 remédios.

Segundo o Anuário, os medicamentos com fabricação manipulada conhecidos também como biológicos, tiveram um aumento nas vendas em 2016, sendo cerca de 213,2 milhões de embalagens comercializadas.

O Ministério da Saúde é o principal comprador desses medicamentos e os distribui através do Sistema Único de Saúde para tratar doenças crônicas.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária liberou o registro de medicamentos genéricos para o tratamento do câncer de próstata, que poderão contar com mais essa alternativa.

Nos casos em que o câncer se espalhou na pessoa (metástase), é indicado o acetato de abiraterona, recomendado com a utilização de outros remédios, como a prednisona ou prednisolona. Os custos do tratamento apresentaram uma redução significativa devido aos medicamentos genéricos serem 35% mais baratos que os outros.

A doença evolui com a produção de hormônios sexuais anormais, e uma enzima presentes no medicamento inibe a produção desse hormônio para o combate a doença.

Em junho de 2017 a Anvisa publicou uma nota no Diário Oficial da União sobre o registro de dois medicamentos genéricos considerados inéditos, o maleato de levomepromazina e limeciclina. O levomepromazina é utilizados no tratamento de sedação em casos de quadros mentais de ansiedade em pacientes psicóticos. O limeciclina é utilizado no tratamento de infecções como acne vulgar e rosácea.

Em 2017, o faturamento de medicamentos genéricos de janeiro a agosto alcançou os R$ 4,8 bilhões, um valor 14,10% maior que o mesmo período de 2016.